Hipotricose capilar: o que é

Existem diversas causas por trás da queda de cabelo: alopecia androgenética, areata, por tração e eflúvio telógeno, por exemplo. No entanto, há também condições raríssimas, que não são tão faladas mas que podem afetar drasticamente a autoestima do indivíduo. Uma delas é a hipotricose capilar.

Nunca ouviu falar neste nome técnico? Neste texto, você vai entender melhor sobre o que é, como acontece e se é possível se prevenir da hipotricose capilar. Confira:

O que é hipotricose capilar?

Também chamada de hipotricose simples do couro cabeludo (HSS), é uma condição em que regiões do couro cabeludo não desenvolvem totalmente os pelos. Como consequência, os fios crescem de maneira desregular. Isso ocorre por uma mutação genética, que pode ser hereditária ou congênita (que vem desde o nascimento, mas não é necessariamente herdada). 

O problema, no entanto, é que essa queda ocorre gradualmente e é perceptível logo nos primeiros anos de vida. Em alguns casos, não há perda, e sim ausência capilar, em pois sequer ocorreu o crescimento dos cabelos. Por isso, um jovem de 25 a 30 anos pode ser completamente calvo.

Essa é também uma das grandes diferenças entre a alopecia e a hipotricose capilar. Enquanto a primeira caracteriza-se pelo início da queda durante a idade adulta, a segunda já costuma trazer um indivíduo com poucos fios desde a primeira infância.

A hipotricose ataca mais homens ou mulheres?

Não há distinção. A hipotricose capilar, aliás, ataca diversos homens e mulheres — a síndrome de Marie-Unna, um tipo de hipotricose congênita, ataca diversos membros  de famílias grandes por ser um gene dominante. 

Hipotricose capilar X hipotricose simples generalizada

Enquanto a hipotricose capilar elimina o cabelo de maneira difiusa e praticamente por completo, a hipotricose generalizada (também chamada de hipotricose simples) ataca pelos do corpo inteiro, incluindo sobrancelhas, cílios, pelos pubianos e axilares. Acredita-se que a hipotricose capilar esteja relacionada a uma mutação no gene da proteína corneodesmosina ( CDSN ).

É possível prevenir a hipotricose capilar?

Por ser uma condição causada por uma mutação genética pré-nascimento, não é possível prever se um indivíduo terá ou não hipotricose. Além disso, não há um tratamento que possa cortar seus efeitos. 

Descobertas genéticas

Um estudo publicado na revista científica Nature Genetics recolheu amostras de DNA de 11 membros de uma família da Arábia Saudita que apresenta hipotricose simples. Os pesquisadores descobriram que uma mutação no gene P2Y5 evita a formação adequada de proteínas chamadas receptores de crescimento nos folículos pilosos.

O achado aponta, portanto, que uma substância fundamental para o crescimento dos fios não consegue se acoplar a seus receptores, portanto seria um motivo para explicar a perda ou ausência capilar. A descoberta pode proporcionar um grande avanço na criação de medicamentos que possam promover o crescimento capilar. 

Entendeu como ocorre a hipotricose capilar? No entanto, a condição é raríssima — a maior parte é pela tradicional calvície. Então, descubra agora se a alopecia tem cura.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *