Como evitar a calvície?

A alopecia androgenética é um problema que afeta milhões de homens e mulheres no mundo. É causada pela associação do DHT a um receptor específico no folículo piloso, provocando seu afinamento, enfraquecimento e posterior sumiço. Mas se é um problema hormonal, então como evitar a calvície? Há algum remédio específico?

Existem diversos tipos de alopecia, mas a androgenética é a mais popular e a que conhecemos como calvície. Neste post, você vai entender se é possível evitar o problema e, claro, como revertê-lo. Descubra?

É possível evitar a calvície?

A alopecia androgenética é um problema hormonal e, muitas vezes, passado do progenitor ao filho. Portanto, não é possível evitá-la, já que você só descobrirá quando os primeiros sinais começarem a aparecer. 

Além disso, quando se adota um tratamento, ele deve ser levado continuamente. Por exemplo: se um homem resolve começar a usar finasterida, verá os primeiros fios nascendo depois de alguns meses. Mas, ao interrompê-lo, a calvície volta a aparecer. 

A alopecia androgenética não tem cura, mas controle. 

Como evitar a calvície avançada?

A calvície já começou a aparecer, portanto é hora de tratá-la. Veja como evitar o avanço da alopecia:

Dermatologista

Primeiramente, é preciso ir ao Dermatologista para descobrir as razões da calvície. Será alopecia androgenética, areata, por tração ou apenas estresse? Há equilíbrio hormonal ou algum nutriente em falta na alimentação?

A partir da confirmação da alopecia androgenética, é possível escolher entre os tratamentos mais adequados para diminuir essa sensibilidade hormonal e evitar o avanço do problema. Portanto, quanto mais rápido o diagnóstico, mais fácil é o controle.

Minoxidil

O minoxidil é uma solução hidroalcoólica de aplicação tópica. Sua concentração varia de 2 a 5%, dependendo do gênero e do grau do problema (o medicamento com 5% costuma ser destinado a homens com mais calvície).

Esse medicamento funciona como um vasodilatador periférico, que favorece a dilatação dos vasos sanguíneos e aumenta o aporte sanguíneo na região. Com isso, o bulbo capilar consegue absorver mais nutrientes.

Alguns autores também acreditam que o minoxidil age com a enzima fenolsulfotransferase, que converte a substância em seu metabólito ativo, o sulfato de minoxidil. Ele é responsável por promover a abertura dos canais de potássio sensíveis à adenosina trifostato (ATP) presente na musculatura lisa vascular, favorecendo a irrigação local e, por conseguinte, aumentando o tempo da fase de crescimento capilar.

No entanto, diferentemente da finasterida, o minoxidil não age no DHT, ou seja, na causa da alopecia.

Finasterida

Já a finasterida age diretamente no causador do problema. O medicamento é um inibidor sintético da enzima 5α-redutase, responsável por converter a testosterona em DHT. Por isso, é um medicamento indicado para homens, já que o uso feminino ainda não está em consenso.

A finasterida não diminui as ações fisiológicas da testosterona, e sim as concentrações de DHT. Porém, muitos pacientes relatam efeitos colaterais pelo uso do medicamento, como a falta de libido e problemas de ereção. Esse problema é popularmente conhecido como síndrome pós-finasterida.

Hoje, há também a dutasterida, variação mais potente da finasterida. O novo medicamento é um inibidor dos tipos 1 e 2 da 5-αlfa redutase.

Implante capilar

Implante é o nome popular do transplante capilar, técnica em que unidades capilares do paciente são retiradas de uma área saudável e reimplantadas na região calva. A grande vantagem é que essa cirurgia, minimamente invasiva, é a única com resultados permanentes, ou seja, o indivíduo não precisará tomar remédios para manter os resultados. Além disso, a taxa de rejeição é nula, já que as unidades são retiradas do próprio paciente.

Se você quer saber como evitar de vez o avanço da calvície, conheça as técnicas de transplante capilar da Favano!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *