Alopecia androgenética: é possível reverter?

Você sabia que existe um tipo de alopecia que está no seu DNA? Sim, ela é genética, e o próprio nome denuncia: a alopecia androgenética. Mas será que ela tem cura? É possível reverter o problema ou quem a tem está fadado a ficar careca?

Neste texto, vamos explicar a você o que é alopecia androgenética, quais as causas e se é possível reverter o problema. Confira:

O que é alopecia androgenética?

É o nome científico para calvície. Embora não pareça, a calvície não é o nome dado à queda ou ao fim da produção de fios, e sim ao afinamento que eles sofrem.

A principal causa da alopecia é a di-hidrotestosterona (DHT), um hormônio sexual masculino. A testosterona é metabolizada pela enzima 5-alfa-redutase e se transforma em DHT.

A DHT é responsável pelas características masculinas do organismo (barba, pelos no tórax e formação do pênis, por exemplo), mas está presente tanto em homens quanto em mulheres. Também estimula a produção de secreção pelas glândulas sebáceas (ou seja, o suor).

A alopecia androgenética ocorre quando o esteroide se liga a receptores localizados no couro cabeludo e miniaturiza os folículos pilosos que lá estão. Isso resulta em perda de cabelo em homens com sensibilidade genética a ele.

O afinamento dos cabelos também é associado à predisposição genética. Portanto, o indivíduo que tem pai, tios ou parentes biologicamente próximos com calvície tem mais predisposição de sofrer o problema.

Quais as outras causas do problema?

Além da genética e da questão hormonal, há também outras questões que podem acelerar a alopecia, como excesso de oleosidade, uso exagerado de produtos químicos, alimentação desequilibrada e com poucas vitaminas, problemas na tireoide, medicamentos e estresse.

Após cirurgias e durante tratamentos quimioterápicos, a perda de cabelo pode ser mais intensa, mas é passageira. Portanto, cessada a causa, o cabelo cresce novamente.

No entanto, a predisposição genética ainda é o fator mais forte. É por isso que chineses raramente ficam calvos.

A alopecia androgenética pode ser revertida?

Quando o problema não é causado pela hereditariedade, ele pode sim ser evitado ou retardado por meio de alguns medicamentos. Mas, para isso, é também necessário se afastar dos fatores de risco.

Existem os seguintes tipos de medicamento:

  • bloqueadores hormonais: a finasterida e a duasterina impedem que a enzima 5-alfa-redutase sintetize a testosterona e a transforme em DHT;
  • medicamentos tópicos: substâncias como o minoxidil são aplicadas diretamente nas áreas rarefeitas e estimulam a circulação sanguínea na região.

Como resolver o problema definitivamente?

Apenas o transplante capilar poderá resolver o problema de maneira definitiva, inclusive em locais onde não há mais folículos pilosos funcionando.

Diferentemente do implante, que usa folículos pilosos sintéticos, o transplante utiliza os do próprio paciente, mas os retira de uma área densa.

Existem dois tipos:

  • FUT (Follicular Unit Transplantation): o médico retira uma faixa de folículos pilosos do couro cabeludo e a implanta em uma área calva;
  • FUE (Follicular Unit Extraction): é a técnica mais popular. Consiste na retirada de folículos, um por um, da área doadora, que pode ser o cabelo, a barba ou o tórax.

Entendeu como a alopecia androgenética funciona? Seus efeitos podem ser revertidos permanentemente com o transplante capilar. Mas para entender como ele funciona, leia o guia que a Favano preparou para você!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *